Olá, pessoal! Hoje eu quero falar sobre um assunto que gera muitas dúvidas e polêmicas entre os casais cristãos: o sexo oral. Será que é pecado? Será que é permitido? Será que é bom? Será que é higiênico? Será que é gostoso?

Antes de mais nada, eu quero deixar claro que eu não sou pastor, nem teólogo, nem psicólogo, nem médico. Eu sou apenas um cristão casado há 10 anos com a mesma mulher e que gosta de compartilhar minhas experiências e opiniões sobre temas relacionados ao casamento. Portanto, não tome o que eu vou dizer como uma verdade absoluta ou uma regra geral. Cada casal tem sua própria história, sua própria intimidade e sua própria consciência diante de Deus.

Dito isso, vamos ao que interessa: o sexo oral. A Bíblia não fala explicitamente sobre essa prática sexual, mas isso não significa que ela seja indiferente ou silenciosa sobre o assunto. A Bíblia nos dá princípios e orientações para vivermos uma vida santa e agradável a Deus em todas as áreas, inclusive na sexualidade.

O primeiro princípio é o do amor. O amor deve ser a base de todo relacionamento conjugal, inclusive na hora do sexo. O amor não busca o seu próprio interesse, mas o do outro (1 Coríntios 13:5). O amor não é egoísta, mas generoso. O amor não é rude, mas gentil. O amor não é violento, mas respeitoso.

Isso significa que o sexo oral só deve ser praticado se ambos os cônjuges concordarem e se sentirem à vontade com isso. Não adianta um querer forçar ou pressionar o outro a fazer algo que ele não gosta ou se sente desconfortável. Isso seria uma forma de desrespeito e abuso. Também não adianta um fazer só para agradar o outro sem ter prazer nisso. Isso seria uma forma de hipocrisia e frustração.

O sexo oral deve ser uma expressão de amor mútuo, de cuidado mútuo, de satisfação mútua. Deve ser algo feito com carinho, com delicadeza, com criatividade. Deve ser algo feito com higiene, com segurança, com responsabilidade.

O segundo princípio é o da pureza. A pureza deve ser a marca de todo cristão em seu modo de pensar e agir (Filipenses 4:8). A pureza deve ser preservada antes do casamento e cultivada depois do casamento (Hebreus 13:4). A pureza deve ser refletida em nosso corpo como templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6:19-20).

Isso significa que o sexo oral só deve ser praticado dentro dos limites do casamento entre um homem e uma mulher (Gênesis 2:24). Fora disso é pecado contra Deus e contra si mesmo (1 Coríntios 6:18). Isso também significa que o sexo oral só deve ser praticado com moderação e equilíbrio (1 Tessalonicenses 4:3-5). Não pode se tornar uma obsessão ou um vício que domine a mente e o corpo.

O sexo oral deve ser uma forma de honrar a Deus com nosso corpo, de glorificar a Deus com nossa sexualidade (1 Coríntios 10:31). Deve ser algo feito com reverência, com gratidão
com louvor.

Artigos Relacionados

falta de sexo casamento cristão

falta de sexo casamento cristão

casamento cristão sexo

casamento cristão sexo

Like our News?

Image