Família Blog

Dicas e estudos sobre relacionamento, intimidade, pais, filhos, familiares..

Popular Articles

Recent Stories

falta de sexo casamento cristão

falta de sexo casamento cristão

Olá, amigos e amigas do blog! Hoje vamos falar de um assunto que interessa a muitos casais cristãos: a falta de sexo no casamento. Será que isso é normal? Será que isso é pecado? Será que isso tem solução? Vamos ver o que a Bíblia e a Igreja nos ensinam sobre esse tema tão delicado e importante.

Primeiro, é preciso entender que o sexo é um dom de Deus para o casal, uma expressão de amor e união, uma fonte de prazer e fecundidade. O sexo não é algo sujo ou vergonhoso, mas algo sagrado e digno. Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança, e os abençoou dizendo: "Sede fecundos, multiplicai-vos" (Gn 1,28). O sexo faz parte do plano original de Deus para o casamento.

Segundo, é preciso reconhecer que o sexo tem uma dupla finalidade: procriativa e unitiva. Ou seja, o sexo visa tanto gerar novas vidas como fortalecer o vínculo entre os esposos. Por isso, o sexo deve ser sempre aberto à vida e ao amor, respeitando a natureza e a dignidade dos cônjuges. Não se pode separar esses dois aspectos do sexo sem ferir o seu sentido profundo.

Terceiro, é preciso saber que o sexo exige fidelidade e exclusividade entre os esposos. O sexo é um sinal da aliança matrimonial, um compromisso de amor fiel até a morte. Por isso, qualquer forma de infidelidade ou adultério é gravemente ofensiva a Deus e ao cônjuge. O sexo deve ser vivido somente no casamento válido entre um homem e uma mulher.

Quarto, é preciso lembrar que o sexo requer generosidade e doação mútua entre os esposos. O sexo não é um direito ou um dever imposto pelo outro, mas um dom livremente oferecido e recebido com gratidão. Os esposos devem atender às necessidades um do outro nessa área com carinho e respeito, sem egoísmo ou violência. O sexo deve ser uma manifestação de amor verdadeiro.

Quinto, é preciso admitir que o sexo pode enfrentar dificuldades e problemas no casamento. Às vezes, pode haver falta de desejo ou de satisfação sexual por parte de um ou dos dois cônjuges. Isso pode ter várias causas: físicas (doenças, cansaço), psicológicas (traumas, medos), emocionais (mágoas, ressentimentos), espirituais (pecados), sociais (estresse), etc.

Nesses casos, o que fazer? Como lidar com a falta de sexo no casamento?

A resposta cristã à falta de sexo no casamento deve ser baseada na fé em Deus, na oração sincera, na comunicação honesta e na busca de ajuda adequada.

Fé em Deus: Acreditar que Deus ama os esposos e quer o bem deles; confiar na sua graça para superar as dificuldades; seguir os seus mandamentos para viver bem o matrimônio; louvar a sua bondade pelos dons recebidos; pedir-lhe perdão pelos erros cometidos; entregar-lhe as angústias e esperanças.

Oração sincera: Rezar juntos como casal todos os dias; pedir ao Espírito Santo sabedoria para discernir a vontade de Deus; interceder um pelo outro diante do Senhor; recorrer aos sacramentos da Eucaristia e da Reconciliação com frequência; buscar apoio na Palavra de Deus; recorrer à intercessão da Virgem Maria.

Comunicação honesta: Conversar abertamente sobre os sentimentos envolvidos na questão sexual; expressar as necessidades

casamento cristão sexo oral

casamento cristão sexo oral

Olá, pessoal! Hoje eu quero falar sobre um assunto que gera muitas dúvidas e polêmicas entre os casais cristãos: o sexo oral. Será que é pecado? Será que é permitido? Será que é bom? Será que é higiênico? Será que é gostoso?

Antes de mais nada, eu quero deixar claro que eu não sou pastor, nem teólogo, nem psicólogo, nem médico. Eu sou apenas um cristão casado há 10 anos com a mesma mulher e que gosta de compartilhar minhas experiências e opiniões sobre temas relacionados ao casamento. Portanto, não tome o que eu vou dizer como uma verdade absoluta ou uma regra geral. Cada casal tem sua própria história, sua própria intimidade e sua própria consciência diante de Deus.

Dito isso, vamos ao que interessa: o sexo oral. A Bíblia não fala explicitamente sobre essa prática sexual, mas isso não significa que ela seja indiferente ou silenciosa sobre o assunto. A Bíblia nos dá princípios e orientações para vivermos uma vida santa e agradável a Deus em todas as áreas, inclusive na sexualidade.

O primeiro princípio é o do amor. O amor deve ser a base de todo relacionamento conjugal, inclusive na hora do sexo. O amor não busca o seu próprio interesse, mas o do outro (1 Coríntios 13:5). O amor não é egoísta, mas generoso. O amor não é rude, mas gentil. O amor não é violento, mas respeitoso.

Isso significa que o sexo oral só deve ser praticado se ambos os cônjuges concordarem e se sentirem à vontade com isso. Não adianta um querer forçar ou pressionar o outro a fazer algo que ele não gosta ou se sente desconfortável. Isso seria uma forma de desrespeito e abuso. Também não adianta um fazer só para agradar o outro sem ter prazer nisso. Isso seria uma forma de hipocrisia e frustração.

O sexo oral deve ser uma expressão de amor mútuo, de cuidado mútuo, de satisfação mútua. Deve ser algo feito com carinho, com delicadeza, com criatividade. Deve ser algo feito com higiene, com segurança, com responsabilidade.

O segundo princípio é o da pureza. A pureza deve ser a marca de todo cristão em seu modo de pensar e agir (Filipenses 4:8). A pureza deve ser preservada antes do casamento e cultivada depois do casamento (Hebreus 13:4). A pureza deve ser refletida em nosso corpo como templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6:19-20).

Isso significa que o sexo oral só deve ser praticado dentro dos limites do casamento entre um homem e uma mulher (Gênesis 2:24). Fora disso é pecado contra Deus e contra si mesmo (1 Coríntios 6:18). Isso também significa que o sexo oral só deve ser praticado com moderação e equilíbrio (1 Tessalonicenses 4:3-5). Não pode se tornar uma obsessão ou um vício que domine a mente e o corpo.

O sexo oral deve ser uma forma de honrar a Deus com nosso corpo, de glorificar a Deus com nossa sexualidade (1 Coríntios 10:31). Deve ser algo feito com reverência, com gratidão
com louvor.

casamento cristão sexo

casamento cristão sexo

Olá, amigos e amigas do blog! Hoje vamos falar sobre um assunto que interessa a muitos casais cristãos: sexo no casamento. Será que para o casal cristão vale tudo na hora de expressar o amor conjugal? Quais são os limites e as possibilidades que Deus nos dá para vivermos uma sexualidade plena e feliz?

Antes de mais nada, é preciso lembrar que o sexo foi criado por Deus como um dom maravilhoso para o homem e a mulher que se unem em matrimônio. O sexo não é algo sujo, pecaminoso ou vergonhoso, mas uma forma de comunhão, intimidade e prazer entre os cônjuges. O sexo também é uma participação na obra criadora de Deus, pois através dele podem vir ao mundo novos filhos e filhas, frutos do amor do casal.

A Bíblia nos ensina que o matrimônio deve ser honrado por todos e o leito conjugal sem mácula (Hebreus 13:4). Isso significa que o casal deve respeitar a dignidade um do outro, não se tratando como objetos de satisfação egoísta, mas como pessoas amadas por Deus e por si mesmas. O sexo deve ser uma expressão de amor verdadeiro, fiel e exclusivo entre o marido e a esposa.

Mas então, dentro desses princípios, o casal cristão pode fazer de tudo no sexo? A resposta é: depende. Depende da consciência, do diálogo e do consentimento mútuo dos cônjuges. A Igreja Católica não dá uma lista de práticas permitidas ou proibidas no sexo conjugal, mas oferece alguns critérios para discernir o que é bom e o que não é.

Um desses critérios é a lei natural, ou seja, a ordem que Deus colocou na criação e na natureza humana. Algumas práticas sexuais são contrárias à lei natural porque violam a finalidade do ato sexual, que é a união e a procriação. Por exemplo: o sexo anal ou oral são contrários à lei natural porque impedem a transmissão da vida e desvirtuam o sentido da união sexual. Essas práticas também podem trazer riscos à saúde física e psicológica dos cônjuges.

Outro critério é a caridade, ou seja, o amor fraterno que devemos ter uns pelos outros como filhos de Deus. Algumas práticas sexuais são contrárias à caridade porque ferem a dignidade ou a liberdade do outro cônjuge. Por exemplo: a violência, a humilhação, a dominação ou a imposição de algo que cause dor ou desconforto ao outro são contrárias à caridade. Essas práticas também podem gerar traumas emocionais e espirituais nos cônjuges.

Um terceiro critério é a fidelidade matrimonial, ou seja, o compromisso de ser fiel ao outro em corpo e alma até que a morte os separe. Algumas práticas sexuais são contrárias à fidelidade matrimonial porque envolvem outras pessoas ou imagens fora do casamento. Por exemplo: o adultério (físico ou virtual), as trocas de casais (swing), os ménages (sexo com mais uma pessoa) ou o uso da pornografia são contrários à fidelidade matrimonial. Essas práticas também podem causar danos irreparáveis ao relacionamento do casal.

Diante desses critérios, cabe ao casal cristão dialogar com sinceridade e respeito sobre as suas preferências sexuais e buscar aquilo que favoreça uma relação sexual saudável,

 

 

 

 

 

 

Olá, pessoal! Hoje eu vou falar sobre um assunto que muitos casais cristãos têm dúvidas: sexo. Sim, sexo. Aquele tema que é tabu nas igrejas, nas famílias e até mesmo nos relacionamentos. Aquele tema que muitos acham que é pecado, que é sujo, que é proibido. Mas será que é mesmo?

Eu acredito que não. Eu acredito que o sexo é um presente de Deus para os casais que se amam e se respeitam. Eu acredito que o sexo é uma forma de expressar o amor, a intimidade e a cumplicidade entre marido e mulher. Eu acredito que o sexo é uma bênção para o casamento cristão.

Mas como fazer sexo de forma saudável, prazerosa e santa? Como evitar os excessos, as distorções e as tentações? Como conciliar o desejo sexual com os princípios bíblicos? Essas são algumas perguntas que eu vou tentar responder neste post.

Primeiro de tudo, precisamos entender que o sexo foi criado por Deus e não pelo diabo. O sexo não é algo ruim em si mesmo, mas sim algo bom que pode ser usado para o bem ou para o mal. O sexo foi instituído por Deus no Éden, quando Ele criou o homem e a mulher à sua imagem e semelhança e os abençoou dizendo: "Sejam férteis e multipliquem-se" (Gênesis 1:28). O sexo faz parte do plano original de Deus para a humanidade.

Segundo, precisamos entender que o sexo tem um propósito divino e não apenas humano. O sexo não é apenas uma forma de satisfazer os nossos instintos animais ou de buscar prazer egoísta. O sexo tem um significado maior do que isso. O sexo é uma forma de glorificar a Deus através da união física, emocional e espiritual entre marido e mulher. O sexo é uma forma de refletir o amor de Cristo pela sua igreja (Efésios 5:31-32). O sexo é uma forma de cooperar com Deus na geração de novas vidas (Salmos 127:3).

Terceiro, precisamos entender que o sexo tem limites estabelecidos por Deus e não pelo homem. O sexo não é algo livre, sem regras ou consequências. O sexo tem um contexto adequado para ser praticado: o casamento monogâmico entre um homem e uma mulher (Hebreus 13:4). O sexo tem uma conduta adequada para ser vivido: com pureza, fidelidade e respeito (1 Tessalonicenses 4:3-8). O sexo tem uma finalidade adequada para ser buscado: com amor, entrega e comunhão (1 Coríntios 7:3-5).

Portanto, se você quer ter um casamento cristão feliz e abençoado na área sexual, siga esses princípios bíblicos:

- Reconheça o valor do seu corpo como templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6:19-20).
- Respeite o seu cônjuge como alguém feito à imagem de Deus (Gênesis 2:23-24).
- Dialogue com o seu cônjuge sobre as suas preferências sexuais (Cânticos dos Cânticos).
- Cuide da sua saúde física e mental para ter disposição sexual (Provérbios 31:17).
- Invista na sua aparência pessoal para atrair sexualmente o seu cônjuge (Provérbios 5:18-19).
- Surpreenda o seu cônjuge com gestos românticos fora da cama (Provérbios 7:16-18).
- Priorize a qualidade do seu tempo juntos em vez da quantidade das relações sexuais (Eclesiastes 9:9).
- Ore com o seu cônjuge antes ou depois do ato sexual (Salmos 63:3-5).

Espero que essas dicas tenham sido úteis para vocês. Lembrem-se sempre de que Deus quer abençoar os seus filhos em todas as áreas da vida, inclusive na sexualidade. Não tenham medo ou

 

Like our News?

Image
Image
© 2024 Fé Ativa. Todos os direitos reservados.
Image